sexta-feira, 30 de março de 2012

Confira as questões da Prova de Sociologia do Primeiro Bimestre


AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA

P2 DO PRIMEIRO BIMESTRE

PRIMEIRA SÉRIE

1. (CNDL) “A sociedade humana é construída a partir da interação entre os homens e o meio em que vivem”.

Explique por que essa interação é importante.

resposta da questão 1:

Espera-se que o aluno compreenda a importância da interação da humanidade com o meio estabelecendo intervenções a fim de criar condições que possibilitem uma melhor organização das relações sociais.


2. (CNDL) Discorra a respeito da valorização da investigação científica nos estudos sociológicos, a partir da seguinte citação:


“Toda ciência seria supérflua se a aparência e a essência das coisas se confundissem.”

MARX, K; ENGELS, F. História; (Org.) FERNANDES, Florestan, São Paulo: Ática, 1983.


resposta da questão 2:

Marx, em uma análise sociológica, preconizava que não se deve partir do que os homens dizem ou representam, mas, ao contrário, deve-se partir de seu processo de vida efetivo, ou seja, de homens efetivamente ativos. Marx defende que a ciência não deve ser superficial, valorizando a importância da investição aprofundada com base na pesquisa científica.

3. (UNESP) Pode-se afirmar que a Sociologia contemporânea herdou as contribuições de autores considerados clássicos do pensamento sociológico a partir dos quais desenvolveram-se correntes teóricas distintas. Foram eles:

a) Émile Durkheim, Theodor Adorno e Max Weber.

b) Karl Marx, Max Weber e Karl Manheim.

c) Max Weber, Karl Marx e Émile Durkheim.

d) Émile Durkheim, Max Weber e Herbert Spencer.

e) Karl Marx, Émile Durkheim e Talcott Parsons.


resposta da questão 3: [C]

A alternativa que apresenta os nomes dos autores clássicos da Sociologia, Émile Durkheim, Max Weber e Karl Marx é a C.

4. (Unicentro 2012) Considerando-se as grandes mudanças que ocorreram na história da humanidade, aquelas que aconteceram no século XVIII — e que se estenderam no século XIX — só foram superadas pelas grandes transformações do final do século XX. As mudanças provocadas pela revolução científico-tecnológica, que denominamos Revolução Industrial, marcaram profundamente a organização social, alterando-a por completo, criando novas formas de organização e causando modificações culturais duradouras, que perduram até os dias atuais.

DIAS, Reinaldo. Introdução à sociologia. São Paulo: Persons Prentice Hall, 2004.

Sobre o surgimento da Sociologia e as mudanças ocorridas na modernidade, é correto afirmar:

a) A intensificação da economia agrária em larga escala nas metrópoles gerou o êxodo para o campo.

b) O aparecimento das fábricas e o seu desenvolvimento levou ao crescimento das cidades rurais.

c) O aumento do trabalho humano nas fábricas ocasionou a diminuição da divisão do trabalho.

d) A agricultura familiar desse período foi o objeto de estudo que fez surgir as ciências sociais.

e) A antiga forma de ver o mundo não podia mais solucionar os novos problemas sociais.


resposta da questão 4: [E]

5. (Uffs 2011) Podemos conceituar a Sociologia como a ciência que estuda as relações sociais e as formas de associação, considerando as interações que ocorrem na vida em sociedade. No entanto, só passou a ser conside¬rada ciência quando um determinado autor passou a formular os primeiros conceitos e demonstrou que os fatos sociais têm características próprias.

Qual foi esse autor?

a) Karl Marx.

b) Max Weber.

c) Émile Durkheim.

d) Augusto Comte.

e) Jean Jacques Rousseau


resposta da questão 5:[C]

6. (UNESP) “À medida que se foi estendendo a influência da concepção de vida puritana – e isto, naturalmente, é muito mais importante do que o simples fomento da acumulação de capital – ela favoreceu o desenvolvimento de uma vida econômica racional e burguesa. Era a sua mais importante, e, antes de mais nada, a sua única orientação consistente, nisto tendo sido o berço do moderno “homem econômico”.

(Marx Weber, A Ética protestante e o espírito do capitalismo. 1967:125)

De acordo com o texto, Max Weber está apontando para o “desenvolvimento de uma vida econômica racional e burguesa” e o desenvolvimento do capitalismo a partir da influência da:

a) economia e sociedade.

b) ética protestante.

c) liderança carismática.

d) ética liberal.

e) teoria da ação social.


resposta da questão 6:[B]




7. (Unioeste 2012) Segundo Zygmunt Bauman, a Sociologia é constituída por um conjunto considerável de conhecimentos acumulados ao longo da história. Pode-se dizer que a sua identidade forma-se na distinção com o chamado senso comum. Considerando que a Sociologia estabelece diferenças com o senso comum e estabelece uma fronteira entre o pensamento formal e o senso comum, é correto afirmar que

a) a Sociologia se distingue do senso comum por fazer afirmações corroboradas por evidências não verificáveis, baseadas em ideias não previstas e não testadas.

b) o pensar sociologicamente caracteriza-se pela descrença na ciência e pouca fidedignidade de seus argumentos. O senso comum, ao contrario, evita explicações imediatas ao conservar o rigor científico dos fenômenos sociais.

c) pensar sociologicamente é não ultrapassar o nível de nossas preocupações diárias e expressões cotidianas, enquanto o senso comum preocupa-se com a historicidade dos fenômenos sociais.

d) o pensamento sociológico se distingue do senso comum na explicação de alguns eventos e circunstâncias, ou seja, enquanto o senso comum se preocupa em analisar e cruzar diversos conhecimentos, a Sociologia se preocupa apenas com as visões particulares do mundo.

e) um dos papéis centrais desempenhados pela Sociologia é a desnaturalização das concepções ou explicações dos fenômenos sociais, conservando o rigor original exigido no campo cientifico.


resposta da questão 7: [E]

8. (Unioeste 2011) Os discursos ou as teorias científicas são desenvolvidos através de um conjunto de técnicas e de experimentos no intuito de compreender ou resolver um problema anteriormente apresentado. As Ciências Sociais, por exemplo, possuem entre as suas diferentes missões o objetivo de investigar os problemas sociais que vivenciamos durante o nosso cotidiano.

Levando isso em consideração, qual das respostas abaixo é a correta?

a) O senso comum corresponde à popularização e à massificação das descobertas científicas após uma ampla divulgação.

b) O senso comum corresponde aos conhecimentos produzidos individualmente e que ainda não passaram por uma validação científica.

c) O senso comum pode ser considerado um sinônimo da ignorância da população e uma justificativa para o atraso econômico.

d) O senso comum corresponde a um conhecimento não científico utilizado como solução para os problemas cotidianos, geralmente ele é pouco elaborado e sem um conhecimento profundo.

e) O senso comum e o conhecimento científico correspondem a duas formas de entendimento excludentes e possuidoras de fronteiras intransponíveis.


resposta da questão 8:[D]

9. (UNESP) A elaboração e a realização do projeto de pesquisa em Ciências Sociais, particularmente na Sociologia,

a) é o mais barato e mais prático meio de se conhecer a realidade social.

b) é o meio mais eficaz e científico de se conhecer a realidade social.

c) é o meio mais adequado para se reconhecer o outro.

d) é o melhor meio para se conhecer e controlar grupos sociais antagônicos.

e) é o melhor e mais caro processo de constituição de mecanismos sociais de segregação social.


resposta da questão 9: [B]

10. (CNDL) Observe a imagem a seguir, ela retrata uma situação típica de nossa sociedade.


a) A imagem anterior apresenta símbolos que representam o processo de organização do ser humano em sociedade, identifique-os.

b) Explique por que esses símbolos são necessários para a organização da sociedade.



resposta da questão 10:


a) O aluno poderia mencionar a rua, os carros, os pedestres, as placas de sinalização, a faixa de segurança, a calçada, etc.

b) O processo de intervenção do homem com o objetivo de organizar as relações sociais.

Questões extras

1. (Ufu) Sobre o surgimento da sociologia, podemos afirmar que

I. a consolidação do sistema capitalista na Europa no século XIX forneceu os elementos que serviram de base para o surgimento da sociologia como ciência particular.

II. o homem passou a ser visto, do ponto de vista sociológico, a partir de sua inserção na sociedade e nos grupos sociais que a constituem.

III. aquilo que a sociologia estuda constitui-se historicamente como o conjunto de relacionamentos que os homens estabelecem entre si na vida em sociedade.

IV. interessa para a sociologia, não indivíduos isolados, mas inter-relacionados com os diferentes grupos sociais dos quais fazem parte, como a escola, a família, as classes sociais etc..

a) II e III estão corretas.

b) Todas as afirmativas estão corretas.

c) I e IV estão corretas.

d) I, III e IV estão corretas.

e) II, III e IV estão corretas.


resposta da questão 1: [B]



2. (Unioeste 2010) No que diz respeito às relações entre sociologia e mudanças sociais pode-se dizer que:

a) A sociologia é uma ciência que visa apreender cada sociedade em um dado momento sem poder explicar suas transformações, que são objeto da História.

b) A sociologia só e capaz de explicar as transformações derivadas das lutas entre as classes.

c) Os estudos aos quais a sociologia se dedica fundamentam-se no princípio de que mudanças e transformações só podem ocorrer quando os vários segmentos ou estratos de uma sociedade se unem para promover ou viabilizar tais mudanças.

d) A questão das mudanças sociais é um tema que se tornou objeto de reflexão sociológica a partir do que se convencionou chamar “era pós-industrial” e globalização.

e) A sociologia busca captar os fenômenos produzidos pelas ações de atores sociais que visam defender seus interesses e os fatos associados às reações e resistências àquelas ações.


resposta da questão 2:[E]

3. (UFV) Leia o texto a seguir, letra da música “Pacato cidadão”, composta por Samuel Rosa e Chico Amaral para o álbum Calango, lançado pelo grupo mineiro Skank, em 1994.

Pacato Cidadão

Ô pacato cidadão, te chamei a atenção

Não foi à toa, não

C'est fini la utopia, mas a guerra todo dia

Dia a dia não

E tracei a vida inteira planos tão incríveis

Tramo à luz do sol

Apoiado em poesia e em tecnologia

Agora à luz do sol

Pra que tanta TV, tanto tempo pra perder

Qualquer coisa que se queira saber querer

Tudo bem, dissipação de vez em quando é bão

Misturar o brasileiro com alemão

Pacato cidadão

Ô pacato da civilização

Pra que tanta sujeira nas ruas e nos rios

Qualquer coisa que se suje tem que limpar

Se você não gosta dele, diga logo a verdade

Sem perder a cabeça, sem perder a amizade

Consertar o rádio e o casamento é

Corre a felicidade no asfalto cinzento

Se abolir a escravidão do caboclo brasileiro

Numa mão educação, na outra dinheiro

Pacato cidadão

Ô pacato da civilização.

(MARQUES, Adhemar; BERUTTI, Flávio; FARIA, Ricardo; Brasil: História em construção. Belo Horizonte. Ed. Lê,1996. v. 4. p. 165.)

O texto de Samuel Rosa e Chico Amaral discute algumas relações relativas à sociedade contemporânea brasileira. É INCORRETO afirmar que, no texto, os autores:

a) abordam situações relativas à cidadania e à falta de compromisso social de muitos cidadãos brasileiros.

b) defendem que somente a educação, aliada ao poder dos meios de comunicação de massa, pode fazer com que o cidadão brasileiro deixe de ser pacato.

c) chamam a atenção para o descaso dos cidadãos em relação às questões ambientais presentes em seu cotidiano.

d) questionam a acomodação, a alienação e a falta de interesse de muitos brasileiros pelas questões políticas de seu tempo.

e) acreditam que o pacato cidadão, de certa forma, vive escravizado no seu dia-a-dia, por isso precisa se preocupar com a realidade a sua volta.


resposta da questão 3:[B]

sábado, 24 de março de 2012

Teste seus conhecimentos sobre cultura e diversidade cultural

Cultura e diversidade cultural


1. (PITÁGORAS) Leia o texto a seguir que faz parte do artigo “O menino selvagem e as invariantes do humano”, publicado na revista virtual “P@rtes”, de autoria de José Carlos Rocha e Gilberto da Silva:

Em meados do século dezenove, em Paris, o jovem médico Jean-Jacques Gaspar Itard dá com um aglomerado de pessoas observando na rua um menino enjaulado a quem chamavam de menino-macaco. Com autorização judicial, o médico o conduz à residência, onde tratará de educá-lo, tornando-o objeto de investigações científicas.

Aparentando seis a oito anos de idade, surdo e mudo, com posturas próximas do animalesco, o menino que fora capturado no mato, onde teria sido abandonado ainda recém-nascido, quase nada aprenderá. Itard observará meticulosamente o menino durante três anos, período que o teve de sobrevida em ambiente social. Entre as letras do alfabeto fonético, o menino aprendeu apenas a pronunciar o “ô”, derivando daí o nome Victor e o sobrenome d’Aveyron, região onde fora capturado. Durante este período o máximo de imagens que Victor conseguiu reconhecer foi o desenho de uma garrafa de leite no quadro negro.

Fonte: Disponível em: http://www.partes.com.br/colunistas/gilbertosilva/meninoselvagem.asp. Acesso: 28/09/2011

Com base na analise do texto, é correto afirmar que

a) a dificuldade do menino em aprender estava diretamente ligada ao processo primário de desenvolvimento das instituições responsáveis pela socialização.

b) a tentativa de se educar o menino foi mal sucedida pela ausência de técnicas desenvolvidas de aculturação dos indivíduos.

c) as tentativas de se educar o menino para uma vida social completa foram falhas por se tratarem de métodos científicos, sendo desconsiderados os métodos sociais.

d) o menino descrito no texto estava fora dos processos culturais e de socialização comuns a todos os indivíduos quando foi encontrado e capturado.

e) o menino recusou ser educado pelo médico por acreditar ser desnecessário para sua vida a educação nos padrões vigentes na França naquele período.

resposta da questão 1: [D]


2. (PITÁGORAS) Analise a pintura de Camilo Tavares denominada “Bumba-meu-boi” e o fragmento do texto de Marcos Agostinho (Ascom/MinC) e Adélia Soares (Ascom/Iphan).

Disponível em: http://perlbal.hi-pi.com/blog-images/469003/gd/1253113770/CAMILO-TAVARES-TEMA-BUMBA-MEU-BOI-MEDIDA-30X40-A-S-T.jpg .Acesso em: 28/09/2011

Novo patrimônio cultural do país

Horas antes da inauguração da nova sede do Iphan, foi realizada a reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, que aprovou o Complexo Cultural do Bumba-meu-boi do Maranhão como Patrimônio Cultural do Brasil. A reunião contou com a presença da ministra Ana de Hollanda, que na ocasião destacou que “a fundamentação dos processos que tramitam no Iphan é tão rigorosa e tão minuciosa que dá ao povo brasileiro a garantia de que o bem avaliado está protegido e será realmente preservado”.

A ministra disse ainda que está “especialmente feliz” por ter participado pela primeira vez da reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural exatamente neste dia porque é “fã do Bumba-meu-boi”. O presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, também ressaltou a importância do registro confirmando que “em breve, todos estaremos no Maranhão para estabelecer as estratégias de salvaguarda no Bumba-meu-boi, agora um patrimônio nacional”.

Fonte: Disponível em: http://www.cultura.gov.br/site/2011/08/31/patrimonio-cultural-7/ . Acesso em: 28/09/2011

Na 32ª Conferência Geral da UNESCO, realizada em Paris, o Brasil, então representado por seu Ministro da Cultura Gilberto Gil, defendeu um posicionamento com relação ao patrimônio e diversidade cultural.

Ao analisar a pintura de Camilo Tavares e o fragmento de texto, assinale a alternativa correta:

a) A atitude do Ministério da Cultura em tornar o Bumba meu Boi Patrimônio Cultural do Brasil está de acordo com a posição defendida pelo Brasil na conferência da UNESCO.

b) A conferência da UNESCO opinou que o governo brasileiro devia eximir-se de estabelecer medidas de proteção às manifestações culturais do país.

c) A transformação da manifestação do Bumba-meu- Boi em Patrimônio Cultural do Brasil pelo Ministério da Cultura feriu a constituição brasileira e o acordo firmado na conferência da UNESCO.

d) O fragmento do texto mostra que as manifestações culturais devem ficar fora da proteção do Estado e que a sociedade deve ser organizada a ponto de fazê-las perpetuar.

e) O texto mostra que a cultura, de forma geral, deve ser regulada pelas leis de mercado e que num país democrático o governo deve ficar de fora dessa regulamentação.

Resposta da questão 2: [A]

3. (PITÁGORAS) Analise a charge a seguir do Cartunista Quino.

Fonte: Disponível em: http://3.bp.blogspot.com/_PksBd3Qwx2w/S-NnnFX1L_I/AAAAAAAAABA/Duutv9myi28/s1600/consumismo+charge.jpg Acesso em: 05/10/2011

De acordo com vários estudiosos da sociedade de cultura pós-moderna, a sua principal característica é a de ser uma sociedade-cultura de consumo.

A charge de Quino passa a ideia de que

a) a sociedade de consumo é uma resposta a um período em que o consumo era restrito e a distribuição de bens e utensílio era feita de forma igualitária.

b) a prática do consumo desenfreado da sociedade-cultura pós-moderna mostra que os indivíduos estão mais preocupados com o ato de “ser” do que com o ato de “ter”.

c) os indivíduos são bombardeados por imagens e objetos descontextualizados, mas que evocam sonhos e desejos para um consumo desenfreado.

d) os veículos de comunicação de massa, ao promoverem o acesso dos indivíduos a vários tipos de manifestação da cultura, podem ser considerados os principais oponentes do consumismo.

e) os indivíduos trazem em sua essência a característica da prática consumista que pode ser observada ao longo da história das sociedades.

resposta da questão 3: [C]

4. (PITÁGORAS) Leia o trecho a seguir da matéria de Pedro Alexandre Sanches e Laura Mattos publicada na Folha de São Paulo em 15/04/2003

Gil apóia projeto de criminalização do jabá; rádios se opõem

Está em gestação um projeto de lei que irá agitar a indústria fonográfica e as rádios: a criminalização do jabá (execução de música mediante pagamento).

O objetivo do parlamentar é proibir que as emissoras cobrem para inserir uma música em sua programação, o que, segundo ele, tira o espaço de artistas iniciantes.

A iniciativa já ganhou o apoio do ministro Gilberto Gil (Cultura) e a oposição das rádios, que lucram com esse esquema de divulgação.

Segundo a Folha apurou, grandes redes de rádio chegam a cobrar até R$ 20 mil para inserir uma música de lançamento em sua programação. As gravadoras negam a existência de jabá, e a Associação Brasileira dos Produtores de Discos, que as congrega, afirma que não se pronuncia sobre o assunto porque o projeto de lei ainda não existe.

Entre artistas consultados pela reportagem, a maioria adota postura cautelosa, mas com posicionamento a princípio favorável à criação da lei. "O bacana do momento é que se sente finalmente um movimento de representação efetiva das demandas da classe musical. Não é à toa que estão retirando os esqueletos de dentro dos armários", diz Lulu Santos.

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u32094.shtml. Acesso em : 05/10/2011


Segundo Karl Marx, a religião, a arte, o moral, a filosofia e a ciência fazem parte da superestrutura, e as relações materiais econômicas e sociais numa sociedade são chamadas de bases dessa sociedade.

Ao analisar o trecho da matéria e com base na teoria de Marx é possível inferir que

a) a veiculação cultural é desprovida de objetivos financeiros.

b) a veiculação de cultura não proporciona lucros aos meios de comunicação.

c) o capital passa a controlar os meios de produção cultural.

d) o capital só é investido em cultura de qualidade.

e) o poder aquisitivo dos artistas, de modo geral, propicia a realização desses pagamentos.



resposta da questão 4: [D]



5. (PITÁGORAS) Leia o fragmento do texto a seguir.

NATUREZA E CULTURA - DIFERENÇAS ENTRE O HOMEM E O ANIMAL

de Marco Maluf

O fato de o homem ser dotado da criação simbólica o diferencia dos outros animais fazendo com que o ser humano se torne um ser histórico, um ser que constrói a sua própria história, ao contrário dos outros animais que não possuem história.

O homem vive num contínuo processo de criação de valores, ou seja, forma ideias sobre o que é o certo ou o que é o errado, noções ou conceitos como o de justiça, por exemplo. Portanto, o homem é consciente dos seus próprios atos e, por isso, é responsável por eles.

Os animais vivem em meio à natureza e se misturam com ela, vivem o instante presente. O ser humano, através do trabalho, transforma a natureza e cria a cultura. A cultura se encontra acumulada nas ciências, nas artes, nas religiões, etc., que são a grande produção da humanidade. A filosofia é também um produto do conhecimento humano e fornece as bases da civilização ocidental.

Fonte: Disponível em: http://filomundo.blogspot.com/2010/02/natureza-e-cultura-diferencas-entre-o.html . Acesso em: 06/10/2011

De acordo com o texto percebe-se o que diferencia o ser humano dos outros animais. Com base no texto, podemos entender que a diversidade cultural

(A) altera os valores das sociedades provocando diversos conflitos entre os indivíduos, afastando-os, assim, da natureza humana.

(B) atenta contra uma cultura globalizada, impedindo o desenvolvimento da sociedade ao torná-la múltipla.

(C) busca distinguir cada individuo, aproximando-os do estado de natureza onde inexistia uma sociedade organizada.

(D) constrói uma barreira entre as diferentes sociedades com sua multiplicidade de signos e valores, dificultando a relação entre os indivíduos.

(E) contribui para a criação de diferentes signos, símbolos e valores que representam os indivíduos mais intimamente.


resposta da questão 5: [E]


Teste seus conhecimentos sobre o estudo das sociedades humanas

Sociologia: estudo das sociedades humanas


1. (PITÁGORAS) O termo Sociologia foi criado em 1838 (séc. XIX) por Auguste Comte, que pretendia unificar todos os estudos relativos ao homem como a História, a Psicologia e a Economia.

No século XVIII a Europa vivia um dos mais importantes momentos de sua história. A Revolução Francesa e Industrial provocaram mudanças que até hoje são refletidas na nossa geração. Toda conjuntura política, econômica e cultural passava por modificações: os novos métodos de produção geravam o aumento da produtividade e vários trabalhadores foram substituídos por máquinas. Além disso, ocorria o intenso êxodo rural, ocasionando uma explosão demográfica e, consequentemente, uma falta de infraestrutura capaz de comportar esses excedentes populacionais. A falta de empregos aliada à falta de infraestrutura levou a um relativo estado de caos social: aumento da miséria, fome, criminalidade, doenças, prostituição, suicídio, etc.

Disponível em: http://mundoeducacao.uol.com.br/sociologia/o-que-sociologia.htm. Acesso em 20/09/2011

Ao analisar o texto, infere-se que a sociologia

a) surgiu como uma resposta intelectual para tentar analisar e explicar essa nova estruturação, sobretudo social, que o mundo vivia.

b) surgiu nesse período como ferramenta de manipulação dos governantes para evitar revoltas contra a nova ordem social.

c) surgiu como resultado de experimentos científicos anteriores que buscavam compreender a natureza humana fora da sociedade.

d) surgiu na França, durante o século XVIII, com o intuito de disseminar os ideais da Revolução Francesa, mas ao longo do tempo teve seu propósito modificado.

e) surgiu em meio à Revolução Industrial como um estudo encomendado pelos proprietários dos meios de produção para a compreensão da nova sociedade.


resposta da questão 1: [A]


2. (PITÁGORAS) Analise as imagens a seguir:

Imagem I

Disponível em: http://1.bp.blogspot.com/_oDOokLVPP0U/TMlxUqFS3QI/AAAAAAAAAC4/IF20chFpTTc/s1600/chaplin_tempos_modernos.jpg . Acesso em 20/09/2011


Imagem II

Disponível em: http://4.bp.blogspot.com/_U4rk32bI3v8/S7oeKDSLXzI/AAAAAAAACfE/jtTV_yEKNq0/s1600/trabalho+no+campo.JPG .

Acesso em 20/09/2011


Após a revolução industrial ocorreram várias mudanças na sociedade.

A análise das imagens permite inferir que

a) a estrutura social vigente após a Revolução Industrial permaneceu intacta e as relações de trabalho permaneceram inalteradas.

b) a figura I representa o homem do campo sem perspectiva de modificação social, e a figura II representa o homem que vislumbra uma mudança na estrutura social.

c) a implementação do maquinário nas fábricas com o advento da Revolução Industrial foi responsável pela estagnação das classes dominantes.

d) as relações de trabalho, no aspecto estrutural, continuaram as mesmas antes e depois da Revolução Industrial, sem alteração no modo de vida das pessoas.

e) a Revolução Industrial acarretou uma nova estruturação no estilo de vida da sociedade, principalmente no que diz respeito ao trabalho.



resposta da questão 2: [E]


3. (PITÁGORAS) Analise as imagens e os fragmentos de texto a seguir.

MODO DE PRODUÇÃO PRIMITIVO

Modo de produção primitivo

O modo de produção primitivo designa uma formação econômica e social que abrange um período muito longo desde o aparecimento da sociedade humana. A comunidade primitiva existiu durante centenas de milhares de anos, enquanto o período compreendido pelo escravismo, pelo feudalismo e pelo capitalismo mal ultrapassa cinco milênios.

Na comunidade primitiva os homens trabalhavam em conjunto. Os meios de produção e os frutos do trabalho eram propriedade coletiva, ou seja, de todos. Não existia ainda a ideia da propriedade privada dos meios de produção, nem havia a oposição proprietários x não proprietários.


MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA

Modo de produção capitalista

O que caracteriza o modo de produção capitalista são as relações assalariadas de produção (trabalho assalariado). As relações de produção capitalistas baseiam-se na propriedade privada dos meios de produção pela burguesia, que substituiu a propriedade feudal, e no trabalho assalariado, que substituiu o trabalho servil do feudalismo. O capitalismo é movido por lucros.

Disponível em: http://www.coladaweb.com/economia/modos-de-producao. Acesso em 21/09/2011



Os fragmentos de textos e as figuras que ilustram a questão podem ser associados às teorias desenvolvidas por Karl Marx com relação aos modos de produção.

De acordo com a análise dos fragmentos de texto e das figuras, pode-se perceber que ao longo dos tempos as sociedades apresentaram diferentes modos de produção. Por isso, é possível inferir que

a) a ação do todo está dissociada da ação individual, e o modo de produção sempre prega padrões contrários aos estabelecidos pela sociedade, sejam eles sociais, políticos ou morais.

b) as grandes modificações dos modos de produção ao longo da história das civilizações só contribuíram para afirmar que os indivíduos modernos se diferenciam dos outros por ignorarem padrões pré-determinados.

c) as teorias de Karl Marx sobre o modo de produção descrevem que os indivíduos agem de acordo com seus ideais e conceitos criados por eles mesmos, sendo irrelevante o modo de produção a que estão inseridos.

d) o modo de produção condiciona o processo da vida social, política e espiritual em geral. Não é a consciência do homem que determina o seu ser, mas sim o contrário: o seu ser social é que determina a sua consciência.

e) o modo de produção tem como função primordial promover as mudanças nos padrões sociais, impedindo que a sociedade padronize o modo de agir dos cidadãos.

resposta da questão 3: [D]



4. (PITÁGORAS) A Sociologia apresenta em seus pilares três autores que desenvolveram análises e teorias a seu respeito e que são considerados clássicos nos estudos sociológicos. São eles: Émile Durkheim, Karl Marx e Max Weber. Durkheim e Marx fazem uso da chamada Sociologia Estrutural, enquanto Weber utiliza da linguagem da Sociologia Interpretativa.

Baseado na abordagem textual pode-se inferir que

a) as abordagens sociológicas desenvolvidas por Marx, Weber e Durkheim, denominadas Sociologia Estrutural e Sociologia Interpretativa, diferenciam-se apenas na nomenclatura, uma vez que investigam e analisam o comportamento social da mesma maneira.

b) a Sociologia Estrutural entende que o mundo objetivo determina o comportamento do individual, e que a Sociologia Interpretativa tem as ações do indivíduo como foco de sua análise, sendo o individuo responsável pelas dimensões coletivas.

c) a Sociologia Interpretativa utilizada por Max Weber deve ser entendida dissociada de uma abordagem sociológica clássica, por ter como foco de suas análises o comportamento do individuo e não os comportamentos coletivos.

d) os estudos teóricos desenvolvidos por Karl Marx estão à parte dos estudos sociológicos, devendo ser considerados como estudos de ciência política, uma vez que seus textos e suas teorias foram utilizados como fundamentação teórica para o desenvolvimento do regime socialista.

e) o estudo do comportamento individual e que dá sentido às ações coletivas é denominado Sociologia Estrutural, enquanto o estudo que parte da ideia de que o mundo objetivo determina o comportamento do individual é denominado de Sociologia Interpretativa.



resposta da questão 4: [B]


5. (PITÁGORAS) O surgimento da sociologia se deu em meio a um turbilhão de grandes acontecimentos históricos. O mundo passava por grandes transformações políticas e religiosas, aconteciam a Revolução Francesa e também a Revolução Industrial.

Nesse cenário de grandes mudanças,

a) as pessoas passavam a enxergar Deus como o centro do universo ao invés do homem.

b) a religião sai fortalecida após as Revoluções Francesa e Industrial.

c) a vida social fica estagnada, deixando as mudanças apenas para o campo político.

d) o domínio religioso enfraquecia e as pessoas começaram a se perceber como indivíduos.

e) o mundo deixava de ser capitalista e passava a ser feudal.


resposta da questão 5: [D]






quinta-feira, 22 de março de 2012

Historiador comenta a importância da Amazônia

Amazônia: um sistema regional

Pio Penna Filho*

A região amazônica é vista como estratégica pelo Brasil. Sua importância se verifica em múltiplos campos, com destaque para o ambiental e para o econômico, aliás duas perspectivas difíceis de compatibilização, sobretudo quando o assunto converge para a exploração dos diversos recursos naturais existentes na Amazônia.
A grande questão é como compatibilizar a exploração dos recursos encontrados na Amazônia com a preservação ambiental e com os direitos das populações nativas e não nativas que há muito tempo habitam a região. A expansão do agronegócio, a exploração de gás e petróleo, as atividades de extração de madeira, ouro e outros minerais realizadas até o presente momento já demonstraram quão agressivas são essas atividades para um ecossistema relativamente frágil, e assim também como são perturbadoras para as vidas das pessoas que moram na vasta zona amazônica.
Além de tudo isso é preciso considerar o aspecto político-estratégico da bacia amazônica tal qual apreendido pelos militares e estrategistas brasileiros. Durante muito tempo o principal lema dos militares era “integrar para entregar”, numa clara alusão à cobiça internacional sobre a Amazônia.
Nessa perspectiva há uma preocupação focada na segurança nacional propriamente dita, uma vez que os militares, especialmente, identificam que há uma latente ameaça à soberania e integridade do país. De fato, essa percepção não surgiu do nada. Muitas foram as demonstrações internacionais de que era preciso coibir a devastação da floresta e preservar os seus recursos naturais, daí o discurso de uma pretensa “internacionalização” da Amazônia.
Um aspecto importante, todavia, tem sido relegado pelas autoridades brasileiras. Não deveríamos pensar a Amazônia apenas a partir da perspectiva nacional, uma vez que a bacia amazônica conforma um complexo e interdependente sistema que não respeita divisões fronteiriças estabelecidas pelos humanos.
O Brasil tem uma responsabilidade maior nesse assunto porque, de todos os países amazônicos, é o único que assume de forma clara a sua condição amazônica. Os nossos vizinhos que compartilham a floresta conosco não tem essa percepção. Somos também o país que mais agride e devasta a Amazônia, causando impactos que não ficam restritos às nossas fronteiras.
Vale lembrar que existe um esforço brasileiro no sentido de aprofundar a integração da região amazônica, dotando-a de uma infraestrutura básica que permita maior intercâmbio entre os países que a circundam. Ou seja, busca-se criar uma dinâmica econômica regional e fortalecer o relacionamento dos Estados que compartilham a bacia amazônica.
Na medida em que avançamos a passos largos em direção à floresta nos defrontamos com uma série de desafios de grande magnitude que não deveriam ser pensados apenas numa perspectiva nacional. Muitos desses desafios, como a segurança, pensada em seus múltiplos campos, a mudança climática provocada pela ação humana, a exploração sustentável de recursos naturais e a construção de uma infraestrutura de integração regional, só fazem sentido se pensadas em sua dimensão sistêmica, ou seja, regional.



Lila - Jornal da Paraíba - João Pessoa (PB)