terça-feira, 18 de setembro de 2012

Unidade 5: Os teóricos da Sociologia e suas obras



Sociologia
Terceiro Ano
Unidade 5
Os teóricos da Sociologia e suas obras

Orientação de estudos
 
1. (PITÁGORAS) Associe a coluna da esquerda com as definições apresentadas para o pensamento de Emile Durkheim na coluna da direita:

1. Consciência coletiva
2. Fato social
3. Solidariedade social
4. Anomia      

(   ) Vínculo recíproco entre pessoas que envolve ações de ajuda mútua e está  baseado em interesses e sentimentos de responsabilidade comuns a esse grupo de pessoas.
(   ) Termo que designa as maneiras coletivas de agir, pensar e sentir que exercem um poder coercitivo sobre as pessoas, levando-as a se comportar de acordo com os padrões estabelecidos pela sociedade.
(   ) Sentimento de identidade cultural e emocional que abrange todos os indivíduos que integram um grupo social. É o sentimento de pertencimento a um grupo ou coletividade.
(    ) Ausência de regras ou de leis que designa situações nas quais muitas pessoas violam as normas geralmente aceitas pelo grupo e se comportam de forma anômala, em claro desrespeito à conduta considerada “normal” pela sociedade.

Fonte: Pérsio Santos de Oliveira. Introdução à Sociologia. Dicionário Básico de Sociologia. Editora Ática.

Identifique a sequência que numera a coluna da direita relacionando-a à da esquerda:

a) 1, 4, 3, 2.
b) 2, 3, 4, 1.
c) 3, 2, 1, 4.
d) 4, 1, 2, 3.
e) 3, 4, 1, 2.




resposta: [C]

2. (PITÁGORAS) Associe a coluna da esquerda com as definições apresentadas para o pensamento de Karl Marx na coluna da direita:

1. Alienação
2. Ideologia
3. Dialética
4. Fetiche

           
(    ) Crença no poder sobrenatural ou mágico dos objetos; culto ou adoração de uma coisa ou pessoa.
(    ) Processo caracterizado pela contradição entre forças opostas que assumiam a forma de classes antagônicas que lutam entre si até que uma delas vença e estabeleça um novo modo de produção.
(    ) Sistema de produção que separa o trabalhador do objeto que ele ajudou a fabricar. O objeto se transforma em mercadoria e, no mercado, passa a dominar o trabalhador.
(    ) Consciência social de uma classe dominante ou conjunto de ideias falsas e enganadoras destinadas a mascarar a realidade social aos olhos das classes dominadas.

Fonte: Pérsio Santos de Oliveira. Introdução à Sociologia. Dicionário Básico de Sociologia. Editora Ática.

Identifique a sequência que numera a coluna da direita relacionando-a à da esquerda:

A) 4, 3, 1, 2.
B) 2, 3, 4, 1.
C) 3, 2, 1, 4.
D) 4, 1, 2, 3.
E) 3, 4, 1, 2.




resposta: [A]


3. (PITÁGORAS) Associe a coluna da esquerda com as definições apresentadas para o pensamento de Max Weber na coluna da direita:

1. Ação social
2. Dominação
3. Relação social
4. Tipo Ideal  

(  ) “ação social é todo comportamento cuja origem depende da reação ou da expectativa de reação de outras partes envolvidas.“
( ) “um estado de coisas pelo qual uma vontade manifesta (‘mandato’) do”dominador” influi sobre os atos de outros (‘do dominado’), configurando uma obediência socialmente legítima.”
( ) "ênfase na caracterização sistemática dos padrões individuais concretos (característica das ciências humanas), opõe a conceituação típico-ideal à conceituação generalizadora tal como esta é conhecida nas ciências naturais”.
 (  ) Deve-se entender uma conduta de vários participantes referidos reciprocamente e orientados por um sentido mútuo.”

Fonte: Coleção Grandes Ciências Sociais. Max Weber. Sociologia e Sociedade. Foracchi e Martins e  Política e Sociedade. Cardoso  e Martins.

Identifique a sequência que numera a coluna da direita relacionando-a à da esquerda:

A) 2, 3, 4, 1.
B) 3, 2, 1, 4.
C) 4, 1, 2, 3.
D) 1, 2, 4, 3.
E) 3, 4, 1, 2.




resposta: [D]

4. (PITÁGORAS) Associe a coluna da esquerda com as definições apresentadas por Max Weber para a ação social na coluna da direita:

1.         Racional com relação aos fins
2.         Racional com relação a valores
3.         Afetiva
4.         Tradicional     

(    ) Determinada por um costume arraigado.
(    ) Especialmente emotiva, determinada por estados sentimentais atuais.
(    ) Crença consciente na ética, estética, religião ou qualquer conjunto de princípios.
(    ) Expectativas no comportamento como condições ou meios para atingir objetivos.

Fonte: Max Weber. Ação e relação social. In: Sociologia e Sociedade. Foracchi e Martins.

Identifique a sequência que numera a coluna da direita relacionando-a à da esquerda:

A)        2, 3, 4, 1.
B)        3, 2, 1, 4.
C)        4, 1, 2, 3.
D)        1, 2, 4, 3.
E)        4, 3, 2, 1.





resposta: [E]


5. (PITÁGORAS) Leia os trechos selecionados dos autores Antônio Cândido e Saulo Ramos.

Trecho 1
            “Na sociedade caipira a sua manifestação mais importante é o mutirão, cuja origem tem sido objeto de discussões. Qualquer que ela seja, todavia, é prática tradicional. (...) Consiste essencialmente na reunião de vizinhos, convocados por um deles, a fim de ajudá-lo a efetuar determinado trabalho: derrubada, roçada, plantio, limpa, colheita, malhação, construção de casa, fiação, etc. Geralmente os vizinhos são convocados e o beneficiário lhes oferece alimento e uma festa, que encerra o trabalho. (...) Um velho caipira me contou que no mutirão não há obrigação para com as pessoas, e sim para com Deus, por amor de quem serve o próximo; por isso a ninguém é dado recusar auxílio pedido.”

(ANTONIO CANDIDO. Os parceiros do Rio Bonito. 9. ed. São Paulo: Livraria Duas Cidades; Editora 34, 2001. p. 87-89.)

Trecho 2
            “Saí de lá matutando, Santo Deus, o que estou fazendo aqui, neste tumultuado momento do meu país? Afinal, nasci em Brodowski, terra de Cândido Portinari, nosso conterrâneo mais importante. Podia ter ficado por lá. Eu era apenas um dos meninos de Brodowski, aquela linda pintura com que Candinho encantou o mundo. Eu não devia nunca ter saído do quadro do Cândido Portinari. Talvez hoje fosse o dono do armazém ou da farmácia e sentaria numa cadeira de palha trançada, conversando na calçada com o pessoal que saía do cinema, e passearia na rua, fazendo hora para dormir.”

(SAULO RAMOS. Código da Vida. São Paulo: Editora Planeta, 2007. p. 89.)

O tipo de vínculo social que relaciona os dois trechos selecionados é a

A) Solidariedade Orgânica, pois as cidades como Brodowski apresentam um tipo de relação fundada na divisão do trabalho com extensa variedade de funções capitalistas dentro de suas engrenagens.
B) Solidariedade Mecânica, pois o trabalho nas sociedades caipiras funciona em sistema cooperativo, preservando laços onde todos preservam funções semelhantes na estrutura produtiva, tornando possível o mutirão.
C) Solidariedade Mecânica no trecho 2 e Solidariedade Orgânica no texto 1, pois os textos não têm nenhuma relação social entre si, já que a formação do trecho 2 foi essencialmente urbana e marcada pela presença de profissionais liberais que o influenciaram como professores e advogados.
D) Solidariedade Orgânica onde o país apresentou poucas mudanças nas últimas três décadas, indicando a manutenção de um modelo produtivo dependente, autoritário e indiferenciado.
E) Solidariedade Mecânica no trecho 1 e Solidariedade Orgânica no trecho 2; o processo social do trecho 1 sofreu um processo de modernização que prejudicou as relações de convivência, diferente do trecho 2, onde encontramos um sistema de trabalho individualista e pouco comprometido com as tradições.






resposta: [B]


6. (PITÁGORAS) Leia a letra da música “Candidato Caô Caô”, de Bezerra da Silva, interpretada pelo conjunto O RAPPA:
 

Candidato Caô Caô
O Rappa e Bezerra da Silva

Ele subiu o morro sem gravata
Dizendo que gostava da raça, foi lá
Na tendinha e bebeu cachaça e até
Bagulho fumou

Foi no meu barracão
E lá usou lata de goiabada como prato
Eu logo percebi é mais um candidato

As próximas eleições
As próximas eleições
As próximas eleições

Fez questão de beber água da chuva
Foi lá na macumba e pediu ajuda
Bateu a cabeça no gongá, deu azar

A entidade que estava incorporada
Disse: esse político é safado
Cuidado na hora de votar

Meu irmão se liga no que eu vou
Lhe dizer
Hoje ele pede seu voto amanhã
Manda a polícia lhe bater

Meu irmão se liga no que eu vou
Lhe dizer
Hoje ele pede seu voto amanhã
Manda a policia lhe prender

Hoje ele pede seu voto amanhã
Manda a policia lhe bater
Eu falei prá você, "viu"?

Nesse país que se divide
Em quem tem e quem não tem
Sempre o sacrifício cai no braço operário
Eu olho para um lado, eu olho para o outro
Vejo desemprego vejo quem manda no jogo
E você vem, vem e pede mais de mim
Diz que tudo mudou e que agora vai ter fim
Mas eu sei quem você é
Ainda confia em mim?
Este jogo é muito sujo
Mas eu não desisto assim

Você me deve
Rárárárárárárá

Malandro é malandro e mané é mané

Você me deve
Você me deve, malandragem

O rappa

Você ganhou 200 vezes na loteria malandro
200 vezes, cumpadi!? É f...

Ai, ai, ai, ai
Peraí, cumpadi
Sujou, sujou

Ae malandragem, se liga na missão
Fica atento
Político é cerol fininho

Político engana todo mundo
Menoso o caboclo, ele deu azar na macumba do malandro
O caboclo deu azar na macumba do malandro

Hoje ele pede, pede, pede de você
Amanhã vai, vai, vai te f...

As características do “candidato Caô”, descritas na letra de Bezerra da Silva, configuram um tipo ideal de dominação característico da sociedade brasileira e presente na caracterização de Max Weber. Trata-se da dominação
A)        racional burocrática.
B)        racional legal.
C)        carismática.
D)        tradicional.
E)        com relação aos fins.






resposta: [C]

7. (PITÁGORAS) Analise a charge e o trecho a seguir.


           
“(...) A educação, para Émile Durkheim, é essencialmente o processo pelo qual aprendemos a ser membros da sociedade. Educação é socialização.”

Alberto Tosi Rodrigues. Sociologia da Educação. Porto Alegre: Lamparina. Página 27.

A)   Caracterize o conflito evidenciado pela charge.

B) Diferencie os conceitos de solidariedade e anomia no pensamento de Émile Durkheim.



resposta:

A)   A charge apresenta um conflito entre os padrões de socialização esperados pela família e os vivenciados pelos grupos sociais da internet. As comunidades possuem uma linguagem diferenciada e que produz um conjunto de valores compartilhados. Durkheim afirmava que a sociedade se impõe através do processo de socialização e que compartilhamos valores pelos quais aprendemos a nos adaptar aos mundos sociais.

B)   Solidariedade seria o conjunto de vínculos sociais que garantem uma reciprocidade.  A sociedade é o conjunto de relações mútuas em que se compartilham valores coletivos capazes de alterar o comportamento individual. A anomia é quando indivíduos não seguem as regras e não respeitam os vínculos sociais.





8. (PITÁGORAS) Leia o trecho escrito por Karl Marx.
“(...) Os homens não estabelecem relações entre os produtos do seu trabalho como valores, por considerá-los simples aparência material de trabalho humano de igual natureza. Ao contrário, ao igualar, na permuta, como valores, seus diferentes produtos, igualam seus trabalhos diferentes, de acordo com sua qualidade comum de trabalho humano. (...) O que é verdadeiro apenas para essa determinada forma de produção, a produção de mercadorias, - a saber, que o caráter social específico dos trabalhos particulares, independentes entre si, consiste na identidade deles como trabalho humano e assume nos produtos a forma de valor, - parece aos produtores de mercadorias tão natural e definitivo, apesar daquela descoberta, quanto o ar que continuou a existir tal como era antes, após a ciência tê-lo decomposto em seus elementos.”

Karl Marx. O caráter fetichista da mercadoria. Coleção Grandes Cientistas Sociais. Volume 10. Págs162/163

A)   Diferencie valor de uso e valor de troca nas relações sociais de produção.

B) Explique o encantamento produzido pela circulação de mercadoria no mundo social.





resposta:

A)   Valor de uso é o tempo gasto pelos trabalhadores para produzir bens essenciais à vida em sociedade. Caracteriza-se pelo trabalho coletivo empregado na produção de um bem, serviço ou sistema. Valor de troca caracteriza-se pelo valor que as mercadorias adquirem fora do processo produtivo na circulação pelo mercado. O valor final que chega ao mercado acumula o tempo gasto pela produção e o quanto o produto é desejado pelo mercado.

B)   O caráter fetichista da mercadoria ou o encanto que os produtos causam está relacionado às atribuições dos objetos que acabam ofuscando o senso crítico e impedindo os consumidores de enxergarem a necessidade e utilidade dos bens, fazendo com que os trabalhadores compreendam integralmente seus papéis na produção capitalista.












9. (PITÁGORAS) Analise a charge e o trecho escrito por Max Weber.

“(...) A dominação, ou seja, a probabilidade de encontrar obediência a um determinado mandato pode fundar-se em diversos motivos de submissão. Pode depender diretamente de uma constelação de interesses, ou seja, de considerações utilitárias de vantagens e inconvenientes por parte daquele que obedece. Pode também depender de mero “costume”, do hábito cego de um comportamento inveterado. Ou pode fundar-se, finalmente no puro afeto, na mera inclinação pessoal do súdito.”

Max Weber. Os três tipos puros de dominação legítima. Coleção Grandes Cientistas Sociais. Volume 13. Págs128

A)   Identifique o tipo de dominação que o povo espera dos candidatos na charge. Justifique.

B)   Diferencie os modelos de dominação legal e carismática.





resposta:

A)   O vínculo esperado pelos eleitores é de caráter afetivo. Uma ação social movida por interesses afetivos cria um vínculo entre os dominados e o carisma dos dominadores. As relações sociais de dominação baseadas no carisma preferem uma proximidade ao mérito e à competência técnica para ocupar os cargos.

B)   A dominação legal e burocrática compreende um quadro técnico especializado e com méritos escolhido por processos competitivos legalizados, evitando-se o nepotismo e o favorecimento; as relações são formais e prescritas em leis. A dominação carismática valoriza um quadro de pessoas dotadas de grande poder de comunicação, simpatia e dons sobrenaturais atribuídos por seu magnetismo e energia pessoais.


10. (UFU) Considere a maneira pela qual Émile Durkheim define os fatos sociais. “... consistem em maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotadas de um poder de coerção em virtude do qual se lhe impõem”.

DURKHEIM Émile, As Regras do Método Sociológico. 9ª Ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1978. p. 3.

Marque a alternativa correta.


A) De acordo com Durkheim, cabe apenas à consciência coletiva e às sanções repressivas garantirem a solidariedade das sociedades modernas.
B) Segundo Durkheim, as sanções repressivas são as únicas compatíveis com o tipo de solidariedade caraterístico das sociedades modernas.
C) Para Émile Durkheim, as sanções restitutórias ganham importância crescente à medida que a divisão social do trabalho torna-se o fator por excelência da solidariedade social.
D) Conforme Durkheim, é a divisão social do trabalho que garante a coesão social e moral das sociedades primitivas.


resposta:[D]






11. (UFU) Considere a seguinte passagem da obra de Max Weber.

“... de acordo com a ética quaker é a vida profissional do homem que lhe dá certo treino moral, uma prova de seu estado de graça para a sua consciência, que se expressa no zelo e no método, fazendo com que ele consiga cumprir a sua vocação. Não é um trabalho em si, mas um trabalho racional, uma vocação que é pedida por Deus. Na concepção puritana da vocação, a ênfase sempre é posta neste caráter metódico da ascese vocacional...”

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. 6ª Ed. São Paulo: Biblioteca Pioneira de Ciências Sociais, 1992. p. 115.

Marque a alternativa correta.


A) De acordo com Weber, a ação racional referente a valores passou a predominar tão logo o capitalismo e a burocracia modernos se firmaram no seio das sociedades ocidentais.
B) Conforme Weber, a ação racional referente a fins é componente essencial do tipo de ética predominante nas sociedades modernas.
C) Segundo Weber, a ação social de tipo tradicional é condição sine qua non para a dinâmica das sociedades capitalistas modernas.
D) Para Weber, a ação social determinada de modo afetivo é central para a lógica de funcionamento da burocracia moderna.





resposta:[A]




12 . (UFU) Sobre os quadros de anomia social, considere a teoria sociológica de Émile Durkheim e marque a alternativa correta.


A) A anomia social não se relaciona à divisão social do trabalho, pois essa diz respeito, estritamente, às funções econômicas de produção, de riqueza e de comércio.
B) Situações de patologia social são raras nas sociedades de solidariedade orgânica, pois essas se assentam na semelhança de funções entre as partes que compõem o tecido social.
C) A ameaça de desintegração é particularmente presente nas sociedades mais complexas, pois essas se baseiam na diferenciação, o que potencializa o enfraquecimento dos valores.
D) A sociedade ocidental moderna encontra na religião tradicional sua principal fonte para as crenças comuns, sendo essas a prevenção eficaz à anomia social.





resposta:[D]




13. (UFU) Considere a citação abaixo.

Por sua formação filosófica, Marx concebia a realidade social como uma concretude histórica, isto é, como um conjunto de relações de produção que caracteriza cada sociedade num tempo e espaço determinados (...). Por outro lado, cada sociedade representava para Marx uma totalidade, isto é, um conjunto único e integrado das diversas formas de organização humana nas suas mais diversas instâncias – família, poder, religião.

COSTA, Cristina. Sociologia – introdução à ciência da sociedade, 3ª ed., São Paulo: Moderna, 2005. p. 123-124.

Com base nesse trecho e na teoria social de Karl Marx, marque a alternativa correta.


A) A consciência é um fenômeno autônomo diante do processo produtivo e das relações sociais de produção, o que nos leva a concluir que há uma evolução das idéias sociais.
B) A dominação de classes no capitalismo é um processo econômico que prescinde das esferas política, ideológica e jurídica.
C) As transformações sociais decorrem, fundamentalmente, da evolução das forças produtivas, principalmente, da ciência e da tecnologia.
D) A totalidade social, para Marx, é indeterminada, sendo autônoma em relação à instância da produção e reprodução das condições materiais de existência.






resposta:[D]




14.(UEL) Leia os depoimentos a seguir:


• Sou um ser livre, penso apenas com minhas idéias, da minha cabeça, faço só o que desejo, sou único, independente, autônomo. Não sigo o que me obrigam e pronto! Acredito que com a força dos meus pensamentos poderei realizar todos os meus sonhos, e o meu esforço ajuda a sociedade a progredir.


(Jovem estudante e trabalhadora em uma loja de shopping).


• Sou um ser social, o que penso veio da minha família, dos meus amigos e parentes, gostaria de fazer o que desejo, mas é difícil! Às vezes faço o que quero, mas na maioria das vezes sigo meu grupo, meus amigos, minha religião, minha família, a escola, sei lá... Sinto que dependo disso tudo e gostaria muito de ser livre, mas não sou! (Jovem estudante em uma escola pública que trabalha em empregos temporários).

• Sinto que às vezes consigo fazer as coisas que desejo, como ir a raves, mesmo que minha mãe não permita ou concorde. Em outros momentos faço o que me mandam e acho que deve ser assim mesmo. É legal a gente viver segundo as regras e ao mesmo tempo poder mudá-las. Nas raves existem regras, muita gente não percebe, mas há toda uma estrutura, seguranças, taxas, etc. Então, sinto que sou livre, posso escolher coisas, mas com alguns limites. (Jovem estudante e Office boy).

Some a(s) alternativa(s) que expressam as explicações sociológicas sobre a relação entre indivíduo e sociedade presentes nas falas.


01 – Individualismo, fundado no liberalismo de vários autores dos séculos XVIII a XX;
02 - funcionalismo, fundado no conceito de consciência coletiva de E. Durkheim;
04 - sociologia compreensiva, fundada no conceito de ação social e suas tipologias de M. Weber.
08 - Sociologia compreensiva, fundada em K. Marx;
16 - funcionalismo, fundado no conceito dos três estados de Augusto Comte.


resposta:[C]



15. (UEL - 2008 ) De acordo com Florestan Fernandes:

A concepção fundamental de ciência, de Emile Durkheim (1858-1917), é realista, no sentido de defender o princípio segundo o qual nenhuma ciência é possível sem definição de um objeto próprio e independente.

(FERNANDES, F. Fundamentos empíricos da explicação sociológica. Rio de Janeiro: Cia Editora Nacional, 1967. p. 73).

Assinale a alternativa que descreve o objeto próprio da Sociologia, segundo Emile Durkheim (1858-1917).


a) O conflito de classe, base da divisão social e transformação do modo de produção.
b) O fato social, exterior e coercitivo em relação à vontade dos indivíduos.
c) A ação social que define as inter-relações compartilhadas de sentido entre os indivíduos.
d) A sociedade, produto da vontade e da ação de indivíduos que agem independentes uns dos outros.
e) A cultura, resultado das relações de produção e da divisão social do trabalho.

resposta:[B]



16. (UEL - 2008) De acordo com Max Weber, a Sociologia significa: “uma ciência que pretende compreender interpretativamente a ação social e assim explicá-la casualmente em seu curso e em seus efeitos.” Por ação social entende-se as ações que: “quanto ao seu sentido visado pelo agente, se refere ao comportamento dos outros, orientando-se por este em seu curso.”
(WEBER, M. Economia e sociedade. Traduzido por Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. vol. I. Brasília: Editora UnB, 2000. p. 3)


Com base no texto, considere as afirmativas a seguir:


I. “Mesmo entre gente humilde, porém, funcionava o sistema de obrigações recíprocas. O nonagentário Nhô Samuel lembrava com saudade o dia em que o pai, sitiante perto de Tatuí, lhe disse que era tempo de irem buscar a novilha dada pelo padrinho... Diz que era costume, se o pai morria, o padrinho ajudar a comadre até ‘arranjar a vida’. Hoje, diz Nhô Roque, a gente paga o batismo e, quando o afilhado cresce, nem vem dar louvado (pedir a benção).”

(CANDIDO, A. Os Parceiros do Rio Bonito. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1982. p. 247.)


II. “O sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não tem o raquitismo exaustivo dos mestiços neurastênicos do litoral. A sua aparência, entretanto, ao primeiro lance de vista, revela o contrário. Falta-lhe a plástica impecável, o desempeno, a estrutura corretíssima das organizações atléticas.”

(CUNHA, E. Os Sertões. São Paulo : Círculo do Livro, 1989. p. 95.)


III. “Não há assim por que considerar que as formas anacrônicas e remanescentes do escravismo, ainda presentes nas relações de trabalho rural brasileiro, [...], dando com isso origem a relações semi-feudais que implicariam uma situação de ‘latifúndios de tipo senhorial a explorarem camponeses ainda envolvidos em restrições da servidão da gleba’. Isso tudo não tem sentido na estrutura social brasileira.”

(PRADO Jr., C. A Revolução Brasileira. São Paulo : Brasiliense, 1987. p. 106.)

IV. “O coronel, antes de ser um líder político, é um líder econômico, não necessariamente, como se diz sempre, o fazendeiro que manda nos seus agregados, empregados ou dependentes. O vínculo não obedece a linhas tão simples, que se traduziriam no mero prolongamento do poder privado na ordem na ordem pública [...] Ocorre que o coronel não manda porque tem riqueza, mas manda porque se lhe reconhece esse poder, num pacto não escrito.”

(FAORO, R. Os donos do poder. v. 2. Porto Alegre: Editora Globo, 1973. p. 622.)


Correspondem ao conceito de ação social citado anteriormente somente as afirmativas


a) I e IV.

b) II e III.
c) II e IV.
d) I, II e III.
e) II, III e IV.


resposta:I e IV




17. (UEL - 2008) Sobre a exploração do trabalho no capitalismo, segundo a teoria de Karl Marx (1818-1883), é correto afirmar:

a) A lei da hora-extra explica como os proprietários dos meios de produção se apropriam das horas não pagas ao trabalhador, obtendo maior excedente no processo de produção das mercadorias.
b) A lei da mais valia consiste nas horas extras trabalhadas após o horário contratado, que não são pagas ao trabalhador pelos proprietários dos meios de produção.
c) A lei da mais-valia explica como o proprietário dos meios de produção extrai e se apropria do excedente produzido pelo trabalhador, pagando-lhe apenas por uma parte das horas trabalhadas.
d) A lei da mais valia é a garantia de que o trabalhador receberá o valor real do que produziu durante a jornada de trabalho.
e) As horas extras trabalhadas após o expediente constituem-se na essência do processo de produção de excedentes e da apropriação das mercadorias pelo proprietário dos meios de produção.


resposta:[C]




18. (UEL) Max Weber, sociólogo alemão, conceituou três tipos ideais de dominação: dominação legal, dominação tradicional e dominação carismática. São tipos ideais porque são construções conceituais que o investigador utiliza para fazer aproximações entre a teoria e o mundo empírico.

Leia a seguir o trecho da Carta Testamento de Getúlio Vargas:


Sigo o destino que é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.

(VARGAS, G. Carta Testamento. Disponível em: http://www.cpdoc.fgv.br/dhbd/verbetes_htm/5458_53.asp. Acesso em: 17 nov. 2007.)


Com base nos conhecimentos sobre os tipos ideais de dominação e levando em consideração o texto citado e as características históricas e políticas do período, assinale a única alternativa que apresenta a configuração correta do tipo de dominação exercida por Getúlio Vargas.
a) Dominação carismática e tradicional.
b) Dominação tradicional que se opõe à dominação carismática.
c) Dominação tradicional e legal.
d) Dominação legal e carismática.
e) Dominação legal que reforça a dominação tradicional.



resposta:[A]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário